sábado, 12 de dezembro de 2015

A emocionante despedida do "Mito" Rogério Ceni

Uma justa homenagem ao "Mito"


Rogério Ceni, o goleiro com a maior quantidade de gols marcados na história do futebol mundial, se despediu ontem(11) das quatro linhas. Aos 42 anos, o craque recebeu justa homenagem em uma partida festiva pelo São Paulo, único clube que defendeu profissionalmente durante a sua brilhante carreira, por 25 anos.



"O mito", como será eternizado pela torcida, marcou 131 gols (69 de pênalti, 61 de falta e um com a bola correndo) anotados em 1.237 partidas disputadas em seus 25 anos de carreira, foi campeão mundial com o Brasil em 2002 e até este ano, titular indiscutível do São Paulo. Se despede ainda, como o décimo maior artilheiro do tricolor paulista.

Em um Morumbi lotado para um jogo comemorativo que reuniu os maiores ídolos do São Paulo nas campanhas dos títulos mundiais de clubes de 1992, 1993 e 2005, Ceni, entrou em campo após o locutor do evento citar todos os títulos conquistados com o clube, incluindo o tricampeonato brasileiro entre 2006 e 2008 e as duas Taças Libertadores.

Para enlouquecer de alegria os cerca de 50 mil torcedores que esgotaram os ingressos, o locutor destacou os feitos do "Mito" ratificando-o como melhor jogador da campanha do título mundial de clubes conquistado com o São Paulo em 2005, bem como os recordes do goleiro que já foram homologados pelo Guinness, o livro dos recordes: goleiro com mais gols marcados, mais jogos disputados por um único clube, mais vezes jogou como capitão da equipe e mais vezes venceu partidas pelo mesmo clube.

A festa de despedida contou em um dos times com os campeões mundiais de clubes com o São Paulo em 1992 e 1993, como Raí e o ex-goleiro Zetti. No outro time jogaram os campeões mundiais de 2005, título do qual Ceni foi protagonista com jogadas grandiosas, entre os quais Amoroso, Souza, Richarlysson, Lugano e o técnico Muricy Ramalho. A partida deixou claro que o time com média de idade 12 anos "menos garotos" levariam desvantagens, mas o que valeu foi a festa, que foi abrilhantada com uma cobrança de falta de Raí na trave do ângulo esquerdo, relembrando os feitos do jogador, e ainda, um pênalti maroto em amoroso que deu origem ao gol do fantástico Ceni, que é claro, não poderia passar em branco na sua festa de despedida.

"É grandioso homenagear Rogério hoje, pois ele é um grande exemplo de profissional com quem comecei junto no São Paulo, olhando sua história, seu sacrifício. Ele merece esta festa", disse Muricy Ramalho.

Durante o intervalo do jogo, Ceni se arriscou como vocalista de rock, cantando junto com a banda Ira!

O jogador-símbolo do São Paulo pendurou as luvas e as chuteiras com um importante histórico: 26 títulos - 22 com o São Paulo e quatro com a seleção brasileira - entre os quais se destacam os dois Mundiais, um com a camisa do São Paulo (2005) e o outro com a amarelinha (2002).


"Quero agradecer a todos os meus parceiros a oportunidade de viver o que vivi no São Paulo". "Torcedor são-paulino, vocês foram o motivo de tudo isso. Um sonho que durou 25 anos e confesso que estou muito feliz, porque eu acredito que esse era o único clube capaz de propiciar uma festa como essa... Meu último pedido talvez seja o mais difícil, mas um dia vai acontecer e é pedir para todos os meus familiares que, quando eu morrer, quero que meu corpo seja cremado e suas cinzas sejam lançadas aqui (no Morumbi) para que eu me lembre para sempre de tudo que aconteceu aqui", concluiu o "mito".

O "Curta no face te parabeniza Ceni, pela festa, por seus feitos e por sua carreira exemplar. Atualmente, está cada vez mais difícil ver um jogador com tanta história e amor por um clube que você demonstrou ao longo dos seus 25 anos de carreira!

O futebol "Mundial" te agradece! Seja feliz!