domingo, 8 de novembro de 2015

Testemunha de chacina foi executada em São Paulo

David forneceu informações sobre mortes em série ocorridas nas cidades de Osasco e Carapicuíba entre os anos de 2012 e 2013.

Foto: Reprodução (noticiasaominuto)

O ex-segurança particular David Sabino de Oliveira Filho foi assassinado na manhã deste sábado, por volta das 11h, em Osasco, região metropolitana de São Paulo. Segundo o portal G1, Oliveira foi alvejado em frente ao comércio que mantinha na cidade. A informação foi confirmada pela Secretaria de Seguraça Pública (SSP).

Segundo os vizinhos, um motoqueiro disparou quatro tiros contra Oliveira. A maioria atingiu a sua cabeça. As balas são de um revólver calibre 38, e a polícia trabalha com a hipótese de queima de arquivo, já que nada foi roubado.
Oliveira era a principal testemunha de uma série de assassinatos e chacinas que ocorreram nos anos de 2012 e 2013 na Grande São Paulo, incluindo Osasco. Seu depoimento levou à prisão de cinco suspeitos, entre eles três policiais. Apenas um policial continua na prisão até hoje.
Segundo reportagem da Folha, a vítima trabalhou como segurança em bicos junto com PMs, quando soube de relatos e testemunhou assassinatos por policiais na Grande São Paulo. Ele decidiu entregar as informações para a polícia, e passou dois anos escondido dos ex-colegas da PM. Recentemente, decidiu retomar a vida e abriu um comércio de água. Nos últimos meses, ele passou a relatar movimentos estranhos e achava que estava sendo seguido.
Em nota, a SSP disse que Oliveira recusou fazer parte do Programa de Proteção à Testemunha, programa do governo para proteger pessoas que correm risco pelas informações que prestaram à polícia. Muitas vezes, o protegido precisa mudar de identidade e endereço. "David foi convidado diversas vezes para o Programa de Proteção à Testemunha, mas sempre negou", diz a nota.
O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, não se pronunciou sobre o caso.
Via: Época e Notícias ao minuto